Mídia
LANÇAMENTO DO LIVRO: TEATRO DE SOMBRAS AO VIVO
BALARDIM, Paulo. MOTTA, Gilson (org). Teatro de Sombras ao Vivo: Conversas com Artistas Latino-Americanos, Volume 1. Rio de Janeiro: Mórula, 2021. A obra Teatro de sombras ao vivo: conversas com artistas latino-americanos é fruto de uma parceria entre a Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC e a Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, organizada pelos professores Paulo Balardim (UDESC) e Gilson Motta (UFRJ). A obra reúne 15 entrevistas/lives realizadas com artistas brasileiros e argentinos que atuam na área do Teatro de Sombras. As lives foram realizadas pelo Grupo Penumbra, de Cuiabá, durante a pandemia da Covid-19, no ano de 2020. Gilson Motta e Paulo Balardim – que participaram como entrevistados - perceberam a importância destas conversas e tiveram a ideia de transformar essas lives em material escrito. Para tanto, formaram uma equipe de bolsistas que fez a transcrição, a tradução, a inclusão de notas explicativas e de imagens, a elaboração de um índice onomástico, entre outros. O resultado pode ser visto nesta obra que é a primeira de uma série de três volumes, que reunirá um total de 40 lives. O livro reúne informações preciosas sobre processos criativos, técnicas, materiais, dramaturgia, estética teatral, iluminação cênica, entre outros, formando um rico panorama do teatro de sombras contemporâneo latino-americano. O livro tem uma pequena tiragem impressa, mas está disponível para download no site da Editora Mórula: https://morula.com.br/produto/teatro-de-sombras/
ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM, MEU BEM
Criação do Coletivo Sombreiro Andante, a cena era parte do espetáculo "Crescer pra passarinho". Após uma reformulação dramatúrgica, a cena ganhou autonomia e passou a se chamar "Isso não vai ficar assim, meu bem". A sugestão do título foi dada por Lauane Baroncelli, tendo como inspiração o título da música de Itamar Assumpção. A cena foi apresentada na 3ª Mostra de Teatros de Bonecos e Formas Animadas de Volta Redonda, realizada em 2021, de modo online e presencial. Ver o site: https://www.youtube.com/watch?v=qIQozj8Q-ng
ENSINE-ME A FAZER ARTE, Cena do teatro de sombras.
A cena aqui exposta faz parte do espetáculo ENSINE-ME A FAZER ARTE, concebido por Tania Alice (Performers sem Fronteiras) e apresentado no Sesc-Copacabana (RJ), no Festival de Curitiba (PR) e no Festival Palco Giratório de Porto Alegre (RS). No espetáculo há duas intervenções com sombras. A primeira imagem é a "cena da lixeira", em que Tania Alice e Gilson Motta manipulam objetos projetando sombras, ao som da música "Ne me quitte pas", de Jacques Brel. A segunda sequência de imagens é da "Cena da meditação". Nesta, Tania Alice faz uma meditação sentada, enquanto Gilson projeto a imagem do Buda, primeiramente na tela, em seguida no cenário e nos espectadores, terminando com o retorno da imagem ao palco, fundindo-a com a imagem de Tania Alice. Há ainda uma foto do cenário, feito também por Gilson Motta: uma série de desenhos de animais em extinção humanizados. Fotos de IGOR KELLER.
ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM, MEU BEM
A cena "Isso não vai ficar assim, meu bem" foi, originalmente, produzida para o espetáculo "Crescer pra passarinho", dos Performers sem Fronteiras. Devido ao fato de ter uma certa autonomia, a cena pode ser apresentada de modo independente. Nesse sentido, a cena foi apresentada na 3ª Mostra de Teatro de Bonecos e Formas Animadas de Volta Redonda, evento organizado pela ARTB e apresentado em agosto de 2021. Link do video: https://youtu.be/vhmQCpb0t1A Ficha técnica: Direção, dramaturgia, criação de bonecos: Gilson Motta Atuação: Gilson Motta e Lauane Baroncelli. Filmagem, edição e trilha sonora: Gilson Motta
CRESCER PRA PASSARINHO
Crescer Pra Passarinho Uma experiência de cuidado poético online Um projeto Performers sem Fronteiras (UNIRIO/UFRJ) ? O ESPETÁCULO O ESPETÁCULO: Crescer pra Passarinho é uma experiência performática especificamente criada para a virtualidade, que investiga as possibilidades oferecidas pelas plataformas como cena expandida para performances relacionais. Junta/os com os espectadores, procuramos ventos para alcançar formas de passarinhar. Passarinhadas em forma de conversas, teatro de sombras, poesias, gargalhadas, danças... Passarinhadas como uma forma de cura, uma poética de vida. HISTÓRICO Desde o início da pandemia, realizamos mais de 80 apresentações. Incialmente, as apresentações eram destinadas aos professionais de saúde, depois, abrimos para outros espectadores, revertendo o valor dos ingressos para a campanha da APTR (Associação dos Produtores de Teatro), que ajuda artistas em situação de vulnerabilidade com a compra de cestas básicas. Hoje em dia, estamos compartilhando o nosso trabalho para que os próprios artistas do Coletivo possam garantir sua sobrevivência. Em setembro de 2020, o espetáculo ganhou o Prêmio “Mundo Solidário” da Prefeitura de Limeira.Até agora, participamos dos eventos seguintes: - 14º Congresso Internacional da Rede Unida, “Saúde é vida em resistência: Traçando caminhos com o SUS: , junto com a Tenda Paulo Freire (2020); ?- XX Colóquio do PPGAC UNIRIO: A Pós-Graduação em Artes e Os Novos Suportes da Cena (2020); - Seminário “Organizar a Vida, Viver a Arte” da UNESPAR (2021).FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA: Concepção do projeto: Tania Alice Performers: Ana Paula Penna, Celo Miguez, Gabriela Estolano, Gilson Motta, Gizelly de Paula, Ivan Faria, Tania Alice, Zé Caetano. Arte: Gizelly de Paula Fotografia do cartaz: Evandro Manchini Um projeto Performers sem Fronteiras (UNIRIO/UFRJ)
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS com4brasil